Loading...

"Que no ano 2010, o nosso Pai derrame muitas bençãos sobre nós, muita saúde e paz."

Natal e consumismo


Por Reinalda Delgado dos Reis

Vejamos o que diz a Bíblia em Mateus 2, 1.11 em relação aos presentes que levaram os magos quando Jesus nasceu:

"E, tendo nascido Jesus em Belém de Judéia, no tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do oriente a Jerusalém. [...] E, entrando na casa, acharam o menino com Maria sua mãe e, prostrando-se diante d’Ele O adoraram. Depois, abrindo os seus tesouros, ofertaram-Lhe como presentes: ouro, incenso e mirra."

A Noite de Natal é o momento em que Deus Menino vem fazer morada entre nós. O sinal é a estrela, o cenário é o estábulo, o motivo é comunicar seu amor à humanidade; o presente é o próprio Jesus, a certeza é que Deus, o Emanuel, está conosco.

O momento é de alegria e o grito deve ser de compromisso para que a estrela de Belém continue brilhando e a iluminar os passos de cada um. E que o Menino Jesus nos motive a participar da construção da nova humanidade, aponte o caminho da Boa Nova da Salvação, para que se promova a paz, a justiça e a solidariedade.

O Papa Bento XVI pediu aos católicos que redescubram o significado religioso do Natal, dizendo que não se deve deixar o materialismo dominar essa data, e que as crianças estão crescendo num mundo saturado de ‘falsos modelos de felicidade’ e são atraídas por adultos inescrupulosos para ‘o beco sem saída do consumismo’.

Com pesar constatamos que o Natal tornou-se um tempo de consumismo, quando na verdade precisamos ter consciência de que esta data simboliza o nascimento de Jesus Cristo. E Ele deve nascer não só no dia 25 de dezembro, e sim todos os dias em nossos corações. Presentes, festas e todas as tradições são insignificantes diante da real importância desta data.

O costume de trocar presentes com amigos e parentes foi distorcido não remetendo ao verdadeiro sentido de natal do cristianismo! Ele não celebra o nascimento de Jesus Cristo nem O honra! Até cristãos esquecem muitas vezes de dar o que deviam a Jesus Cristo e a Sua obra, no mês de dezembro. Aparentemente as pessoas estão tão ocupadas trocando presentes natalinos que não se lembram de Jesus nem de Sua Encarnação para a Salvação de toda humanidade. Na verdade, contudo, vivemos numa sociedade consumista, e acabamos por nos condicionarmos ao meio em que estamos inseridos.

Mas o final do ano nos remete ao exercício da reflexão. Às vezes parece que o tempo está passando mais rápido, quando na verdade somos nós que estamos mais rápidos. Em meio a tanta tecnologia, descobertas, mudanças e acontecimentos, às vezes não paramos para ver o tempo passar. Passamos tão rápido por uma flor que acaba de desabrochar e nem notamos a beleza da natureza. Tudo que aconteceu neste ano curtíssimo passa como um flash por nossa cabeça.

Chegamos ao final do ano com o sentimento de missão cumprida, por mais que muita coisa não tenha sido feita? É um tempo de darmos sorrisos? De perdoar? Orar mais e sermos agradecidos pelas dádivas divinas recebidas durante todo ano que termina? Como pretendemos viver depois que todas estas festas passarem novamente?

Nunca nos esqueçamos: sempre é Natal, pois um Deus de Amor vive no meio de nós!

Advento: Tempo de Perdão e Reconciliação


“Perdoai-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo.” Efésios 4, 32b

Na Renovação, eu aprendi, ainda no início da caminhada, que ao aceitar Jesus como Senhor da minha vida, começava com Ele uma vida nova que me conduziria por novos caminhos que eu deveria trilhar se quisesse andar com Ele.

Uma das características desse caminho, me diziam, era o da prática constante, diária, do perdão. Assim me ensinaram no Grupo de Oração: “Não vá deitar com ressentimento no coração. Peça para o Espírito Santo ajudá-la a perdoar. Não guarde rancor”, e citavam a passagem em Efésios 4, 26-27. A Palavra diz: “Não se ponha o sol sobre vosso ressentimento”. Isto é, “não deixe para amanhã o perdão que você precisa dar hoje”.

Se por acaso, ao longo do ano, eu ou qualquer outra pessoa do Grupo de Oração tivéssemos nos descuidado, tivéssemos permitido que se instalasse no nosso coração o rancor, a mágoa, o ressentimento, se tivesse acontecido algum problema de relacionamento, se tivéssemos perdão para dar ou para pedir, então tínhamos que consertar isso antes do Natal. O período do Advento é a época de arrumar e limpar o ‘coração’, a fim de deixá-lo preparado para receber o Menino Jesus.

Lembro de muitos testemunhos lindos sobre perdão e reconciliação. Um deles, que recordo agora, é o de um irmão de comunidade que foi injustamente julgado e ofendido por uma pessoa. O Advento chegou e ele pensou: “Não posso continuar com esse problema de relacionamento e com todo o constrangimento que traz cada vez que me encontro com essa pessoa. O cristão deve poder olhar todos nos olhos e é também aquele que dá o primeiro passo. Não importa se sou culpado ou não. Vou procurar a pessoa que me ofendeu e pedir perdão”. Assim ele fez. Foi até a loja onde a outra pessoa trabalhava e lhe disse: “Sei que você está ressentida comigo. Eu vim lhe pedir perdão se fiz alguma coisa que fizesse você se sentir assim. Com toda sinceridade, eu lhe peço perdão”. A outra pessoa, desarmada, lhe disse: “Eu também lhe peço perdão”. Assim eles se reconciliaram e o meu irmão de comunidade testemunhava o peso que lhe saiu do coração e a paz e alegria que se instalaram dentro dele. Com certeza a mesma paz e alegria tomaram conta da outra pessoa também. Creio que quando o nosso desejo de andar retamente diante do Senhor é sincero, nos é dada uma graça especial que nos ajuda a consertar o que está errado em nossa vida.

A moção para este período do Advento é de procurarmos o perdão e a reconciliação com todos. Façamos isso por amor ao Senhor, para prepararmos lugar para Ele em nosso coração. Com certeza, receberemos uma graça especial que vai libertar a nós e aos outros e, no dia de Natal, seremos contados entre os homens de boa vontade, aqueles que recebem a paz que vem do Salvador: “Glória a Deus no mais alto dos céus e na terra paz aos homens de boa vontade.” (Lc 2, 14). Texto extraído do site oficial da RCC - Renovação Carismática Católica.

/
Vim pra ficar na tua casa

Eu vim ao mundo, numa noite fria e eis que nasci em uma pobre manjedoura pois não havia lugar para mim na hospedaria.

Mesmo diante das circunstâncias que o mundo me ofereceu, recebi um profundo amor de Maria e José meus pais, que antes do meu nascimento prepararam tudo para a minha chegada.

O tempo foi passando e eu fui crescendo em sabedoria e humildade, e fiz a minha opção em buscar as coisas do Pai.

Em virtude desta minha escolha vieram muitas coisas boas, realizei curas, milagres, prodígios, com isso muitas pessoas mudaram de vida, se converteram, passaram a crer em Deus e suas vidas se modificaram. Mas ao aceitar os planos do Criador em minha história, apareceram as dificuldades, tribulações e sofrimentos que me levaram a morte de Cruz.

Apesar de tudo o que passei; se fosse necessário faria tudo novamente, pois o Pai jamais me abandonou, e me ensinou que o significado do amor está em dar a vida por amor ao próximo, e é perdendo que se ganha a eternidade.

E esta é minha história que se comemora a todo ano, recordando o menino que veio salvar o que estava perdido, e você pode se tomar um Salvador de Almas, acolhendo a estas palavras e deixando que eu entre em seu coração "Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo"Ap 3,20. "Não temas; de agora em diante serás pescador de homens" Lc 5,10.

'Um Santo Natal e que Jesus e Maria abençoe você e sua família...

E venha um Ano Novo cheio de paz...

Nossa Senhora da Imaculada Conceição (dia 08 de dezembro)


Nossa Senhora da Imaculada Conceição


Mais do que memória ou festa de um dos santos de Deus, neste dia estamos solenemente comemorando a Imaculada Conceição de Nossa Senhora, a Rainha de todos os santos.

Esta verdade reconhecida pela Igreja de Cristo, é muito antiga. Muitos Padres e Doutores da Igreja oriental ao exaltar a grandeza de Maria, Mãe de Deus, tinham usado de expressões como: cheia de graça, lírio da inocência, mais pura que os anjos.

A Igreja ocidental que sempre muito amou a Santíssima Virgem tinha uma certa dificuldade para a aceitação do mistério da Imaculada Conceição. Em 1304, o Papa Bento XI reuniu na Universidade de Paris uma assembleia dos doutores mais eminentes em Teologia, para terminar as questões de escola sobre a Imaculada Conceição da Virgem. Foi o franciscano João Duns Escoto quem solucionou a dificuldade ao mostrar que era sumamente conveniente que Deus preservasse Maria do pecado original, pois era Maria destinada a ser mãe do seu Filho. Isso era possível para a Onipotência de Deus, portanto, Deus, de fato, a preservou, antecipando-lhe os frutos da redenção de Cristo.

Rapidamente a doutrina da Imaculada Conceição de Maria no seio de sua mãe Sant'Ana foi introduzido no calendário romano. A própria Virgem Maria apareceu em 1830 a Santa Catarina Labouré, pedindo que se cunhasse uma medalha com a oração: "Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós".

No dia 8 de dezembro de 1854, através da bula Ineffabilis Deus do Papa Pio IX, a Igreja oficialmente reconheceu e declarou solenemente como dogma: "Maria isenta do pecado original".

A própria Virgem Maria, na sua aparição em Lourdes, em 1858, confirmou a definição dogmática e a fé do povo dizendo para Santa Bernadette e para todos nós: "Eu Sou a Imaculada Conceição".


Nossa Senhora da Imaculada Conceição, rogai por nós!